Mulheres na TI – Desafios, medos e receios!

Antes de passar para o próximo POST técnico, venho aqui falar sobre carreira, mais especificamente sobre desafios das Mulheres na T.I .

Desde o ano passado, eu e mais minhas amigas DBA’s (que a comunidade me deu ❤) começamos a falar sobre mulheres na T.I.

Nossa primeira palestra foi no SQL Saturday de Belo Horizonte  que juntamente com a Jéssica de Lima, falamos sobre este tema. Tivemos bastante receptividade e um público misto, onde podemos discutir e escutar a todos.

Nossa segunda palestra foi no SQL Saturday de São Paulo que juntamente com a Suellen Moraes e a Jéssica Lima falamos sobre este tema. Porém desta vez foi bastante especial, a sala tinha somente mulheres e desta forma falamos e trocamos experiência a vontade.

SaoPaulo
Foto SQL Saurday São Paulo

 

Desde então recebemos muitas críticas sobre submeter esta palestra dizendo coisas como:

“Vocês tem capacidade de submeter palestras técnicas.”;

“Pra que esse tipo de tema, vocês não precisam disso”.

Não acho ruim dessas críticas e de fato, todas nós temos capacidade e bagagem o suficiente para submeter palestras técnicas, assim como já fizemos e ainda fazemos várias vezes, mas sempre também gostamos de submeter esta palestra de Mulheres na T.I, pois deixamos a cargo da organização escolher qual é o melhor tema para acrescentar na grade do evento.

Após essas críticas, vindas de pessoas que não chegaram a assistir a palestra, decidi entrar em contato com um amigo da comunidade (que já assistiu a nossa palestra) e perguntei do que achou e pedi críticas. A Única coisa que ele sentiu falta e que poderia melhorar era colocar mais dados estatísticos em nossa apresentação, e assim foi feito!

Agora vamos aqui listar os motivos pelo qual AMO palestrar sobre este tema:

Conquista de espaço

Atualmente eu não “preciso” deste tipo de palestra. Já tenho minha carreira estabilizada e tenho meu espaço conquistado. Porém para chegar até aqui tive algumas dificuldades e ao conversar com minhas amigas, percebemos que as dificuldades são semelhantes. Então porque não passar nossa experiência para outras meninas que estão começando? Ou até mesmo trocar experiências com outras mulheres que também já conquistaram seu espaço?

Em nossa palestra, cada história que escutamos é de se espantar.

Na palestra de São Paulo mesmo, escutamos de uma participante bem assim: “Pensava que essas coisas só aconteciam comigo por trabalhar no interior” e mal ela sabia que isso era muito comum.

Bate-papo

Na verdade, nossa palestra é mais um bate-papo que juntamos várias experiências e trocamos ali mesmo em uma sala, passando as nossas e também aprendendo muito com as que o público passa para a gente.

tirinha1299-2
Fonte: Vida de Programador

Incentivar mulheres

No dia seguinte do SQL Saturday de São Paulo (que foi a nossa segunda palestra sobre o tema), encontramos algumas mensagens no Linkedin que não tem preço!

PostEditado
Post do Linkedin

 

Comentario1Editado
Comentário do Linkedin

 

Comentario2
Comentário do Linkedin

 

É depois de um tempo, olhar novamente no seu LinkedIn e encontrar outra mulher querendo o material da palestra:

Mensagem
Mensagem do Linkedin

Isso que nos faz continuar a debater sobre o tema, mesmo após algumas críticas.

Mas é muito “mimimi”

Primeiramente, eu não gosto deste termo. Se você não estiver falando em um contexto de brincadeira com seus amigos, por favor, não use esta expressão. Ela, além de demonstrar um total desrespeito com quem você está discutindo (independente do assunto) você demonstra que não tem argumentos o suficiente para continuar o debate.

Já me disseram muito que falar sobre Mulheres na T.I é muito mimimi, então se você pensa isso, peço uma coisa: se não consegue se colocar no nosso lugar, se não se simpatiza sobre este assunto, tudo bem, mas não desmereça uma causa que não consegue entender.

Muitas mulheres passam por muito desrespeito, por desconfianças em posicionamento técnico:

GusgestaoEdit
Comentário retirado do Linkedin

Observando que esta é uma reclamação de quase todas as mulheres que trabalham na nossa área.

Desde com desrespeito e piadinhas sobre a aparência da mulher.

Quem nunca escutou de colegas de trabalho ao receber currículo de uma mulher e a primeira coisa que vão fazer é procurar em redes sociais se ela é bonita ou não?

Currículo
Fonte: Vida de Programador

Então isso tudo nos tiram a confiança e nos desanimam.

Sei que muitos não são assim e repudiam este tipo de atitude.

Sei que temos um bom espaço na área e é por isso que fazemos este tipo de palestra: para incentivar e mostrar para todas as mulheres, desde as que estão começando agora até aquelas que já estão há algum tempo na empresa, mas está prestes a desistir da área, que temos muito espaço ainda e que tem muita empresa séria e com bons profissionais que nos tratam de igual para igual.

O erro:

Já trabalhei em um ambiente que um colega mais experiente, sempre falava alto e exaltava um erro de uma colega no início da carreira. Dava para perceber o desânimo que ela ficava. E este mesmo colega ao errar escondia o seu próprio erro até que virasse um problema enorme e mesmo assim não falava que errou.

Sobre isso, sempre digo que o errar não é o problema. O problema é o quê você faz com o erro:

  • Se você erra, mas rapidamente levanta a mão dizendo que errou, isso demonstra que você reconhece o erro fazendo com que a sua equipe fique sabendo rapidamente e podendo o ajudar a resolvê-lo mais rápido. Sendo que você assumindo o erro, dificilmente errará com a mesma coisa;
  • Agora se você erra e tenta esconder até mesmo de você, certamente o cometerá novamente e este erro, que poderá parecer pequeno no início, pode ser tornar uma bola de neve dificultando que sua equipe o resolva e ache a causa raiz.

Então sejamos profissionais ao reconhecer nossos erros e ao ajudar na solução do erro do colega.

E Mulheres, não vamos deixar de fazer algo, com medo de errar!!!

Auto Sabotagem / Confiança

Acredito que com a predominância de um ambiente masculino, e como algumas pessoas como o caso citado no item acima, às vezes podemos perder a vontade de trabalhar nesta área e acabamos por perder nossa confiança também.

Se uma vaga de emprego tem 5 exigências e se você atende a somente 3 destas 5, certamente a maioria de nós mulheres não encaminharemos nosso currículo, mas muito provavelmente um homem que atende a somente 2 dessas 5 exigências se arriscam mais e tenta disputar pela vaga. E isso eu falo por mim mesma, já fiz muito isso.

Então isso é uma parte da confiança de nós mesmas no nosso trabalho. E isso acontece com qualquer um!

Tenhamos confiança em nós mesmas, no nosso trabalho. Saibamos reconhecer nossos pontos fortes e fracos. E ao reconhecê-los explorar mais ainda os pontos fortes e “correr atrás” no âmbito em que sabemos que temos mais dificuldades.

A T.I é assim, temos que estar em constante evolução. Sejamos homens ou mulheres!

Resumindo isso tudo: Nós mulheres queremos ser tratadas como qualquer outro profissional na área de T.I. Queremos chegar em um trabalho novo com a mesma credibilidade de qualquer outro profissional. Queremos poder ir trabalhar com um vestido, por exemplo, sem ter que escutar comentários desnecessários para o ambiente.

 

 

E aproveitando este post! A Priscilla Diniz e Eu estamos trazendo uma perninha a FemmeIT para Brasília! Então TODOS estão convidados para nosso primeiro encontro.

 

FemmeIT - Brasilia 1

 

 

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s